Plantio de milho: como ter plantas mais eficientes

Diversos fatores contribuem para o sucesso de uma lavoura. Desde a escolha da semente certa,  um bom operacional durante o plantio de milho, até os cuidados com a nutrição do seu estande, passando por todo manejo fitossanitário, o trabalho deve ser cuidadoso, para que os melhores resultados apareçam.

Aproveite para ouvir este post no player abaixo:

O Brasil é o terceiro maior produtor de milho no mundo. Utilizado para diversos fins, seja para o consumo humano (como milho verde, pipoca, fubá etc.) até a nutrição animal, este cereal é importantíssimo tanto para quem o consome como para você, agricultor, que o produz. É por isso que, cada vez mais, são desenvolvidas tecnologias e soluções para promover lavouras cada vez mais eficazes e produtivas.

Para se obter uma produtividade de 9 toneladas de milho por hectare, é preciso uma série de cuidados, que começam pela escolha da semente, época certa de plantio de acordo com a região, cuidados ao longo do cultivo e período correto de colheita. Pode parecer complicado, mas com a ajuda certa, é possível ter ganhos até acima do ideal. Confira os pontos essenciais para o cultivo do milho:

Plantio de milho: como escolher a semente?

O primeiro passo para o plantio de milho é determinar o seu objetivo: que tipo de milho você quer produzir? A melhor semente de milho verde não necessariamente é a melhor semente para silagem, que pode não servir para milho em grão. Definindo o tipo de produção que você quer ter, você pode afunilar as opções e escolher com mais certeza.

Daí pra frente, é bom avaliar suas opções: existem sementes modificadas para resistir a pragas locais, outras que são mais adaptadas a determinados terrenos, climas e temperaturas e ainda sementes que possuem ciclo mais curto ou mais longo de crescimento. Além disso, você deve avaliar a aceitação do milho produzido pelo público-alvo e o vigor da semente. Uma dica simples para quem quer mais produtividade também costuma ser a seguinte: evite as mais baratas. Economia na escolha da semente muitas vezes significa perdas no futuro.

Outros fatores a serem considerados durante o plantio de milho, são as propriedades físicas e químicas do solo para o cultivo do milho, bem como todas outras técnicas de manejo, tais como adubação de base, controle de plantas daninhas, insetos e pragas, visando garantir um bom arranque inicial da sua lavoura. E, já nesta primeira fase, existem produtos indicados para estimular a produção. Entre eles estão o Masterfix L Gramíneas e o Stimulate. Enquanto o primeiro complementa o fornecimento de Nitrogênio, através da fixação biológica, o segundo garante o equilíbrio hormonal, promovendo a formação de plantas altamente eficientes.

Densidade de plantio e espaçamento

Parece bastante óbvio que, quanto mais próximo você puder colocar uma planta da outra, mais produtividade você vai ter, certo? Errado. Pouco espaçamento pode prejudicar a plantação, mas um estande com muita área não plantada também não produz o quanto deveria. Como achar o equilíbrio?

Segundo dados da Embrapa, muitos produtores hoje têm adotado o espaçamento reduzido para o cultivo do milho, deixando uma distância de 45 a 50 centímetros entre as linhas, praticamente a metade dos 90 centímetros usados na década passada. Esta medida, associada à escolha de sementes que produzem plantas de menor porte e folhas semi-eretas, tem contribuído para um aumento de produtividade por área. O ideal é termos uma população de 60.000 plantas/ha no momento da colheita.

Época de plantio de milho

Em um país de grandes dimensões e variedade climática como é o caso do Brasil, é normal que muitas culturas tenham diferentes épocas de plantio e colheita dependendo da região onde são plantadas, e com o milho não é diferente. Nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, por exemplo, os melhores meses são setembro, outubro e novembro. Já no Nordeste e partes do Norte, março e abril são os mais indicados. A segunda safra costuma acontecer depois da colheita da soja, e pode ocorrer nos quatro primeiros meses do ano nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Fertilizantes e equilíbrio hormonal

Falamos há pouco da importância de preparar o solo para o plantio das sementes. Pois bem, com o início da germinação e o aparecimento das primeiras folhas, o cuidado deve se intensificar para garantir que não falte nenhum nutriente às plantas. E poder contar com produtos de qualidade comprovada em todas as fases é fundamental para obter um produto final de alto valor no mercado.

No estágio V4, quando as plantas apresentam 4 folhas maduras completamente expandidas, a aplicação de Stimulate é essencial, visando garantir o melhor balanço hormonal no momento em que sua lavoura está definindo o potencial produtivo. Além disso, você pode aprimorar os cuidados com aplicação de Cellerate, melhorando o aproveitamento do nitrogênio nas plantas e complementando o fornecimento de zinco. Outra solução que deve ser levada em conta é a utilização de Starter, um fertilizante foliar completo, que promove equilíbrio nutricional, aumento da resistência das plantas às doenças e aumento da produtividade, fornecendo manganês, zinco, cobre, boro, molibdênio, enxofre e nitrogênio. Se a opção escolhida for de complementar via folha a adubação também de macronutrientes, pode-se contar com aplicações de Mastermins, outro fertilizante fluido com alta concentração de macro e micronutrientes, visando altas produtividades.

Sabemos que o ambiente produtivo é sempre muito desafiador e que as plantas passam por diversos estresses, sejam eles bióticos ou abióticos, durante o seu ciclo de desenvolvimento. Neste contexto, você produtor, pode contar com a ajuda de Hold, solução fisiológica da Stoller que atenua o estresse, reduzindo diretamente a produção de etileno, aumentando a produtividade de sua lavoura, auxiliando também no aproveitamento do nitrogênio.

Falando em nitrogênio, vale relembrar que ele, o potássio e o magnésio são importantíssimos para o milho e assegurar que estes nutrientes estão sendo aproveitados pelas plantas é essencial para obtenção de altas produtividades.

Contribuir com o manejo fitossanitário, induzindo os mecanismos de defesa apresentados pelas próprias plantas também é essencial para uma boa produção. Assim sendo, a Stoller oferece ao mercado soluções como o Phytogard, fertilizante foliar que induz a formação de substâncias de defesa pelas plantas, além de contribuir na nutrição de sua lavoura.

Na reta final do ciclo, é muito importante garantir que toda a energia produzida na fotossíntese seja direcionada ao enchimento dos grãos e, para isso, a Stoller conta com a ação do Mover, complexo de micronutrientes que irá garantir grãos mais pesados e uma maior produtividade na sua lavoura de milho.

Desafios de produção

Como a Stoller pode te ajudar na produção de milho?

Entre os benefícios de utilizar as soluções Stoller na sua produção de milho estão:

  1. melhora na germinação, promovendo o estabelecimento inicial mais rápido e uniforme, garantindo uma população de plantas adequada;
  2. aceleração no desenvolvimento da parte aérea e das raízes;
  3. aumento no aproveitamento de água e nutrientes;
  4. espigas com melhor formação;
  5. aumento na resistência a doenças;
  6. maior enchimento de grãos e uma consequente melhora na produtividade.

Pesquisas da USP revelam que investir em soluções Stoller, como Masterfix L Gramíneas e Stimulate já no tratamento de semente, podem refleti em um incremento na produtividade de até 15,5%. A manutenção da nutrição equilibrada ao longo de todo ciclo da cultura, com a utilização de Starter nas fases V4 e V8, pode significar aumento da produtividade de até 14,8%.

Produzir em maior quantidade, garantindo também a qualidade do produto oferecido aos seus compradores é sem dúvida um grande diferencial. Aplicar corretamente as soluções Stoller é uma estratégia essencial para que a sua produção traga muito mais ganhos por hectare.

Luis Andre Tobias - Desenvolvimento de Mercado
Compartilhar:
Recommended
Além do Grupo de Maturação Relativa (GMR), os hábitos de…
Cresta Posts Box by CP