Exemplo prático como transformar Nitrogênio em Lucro na cultura do milho

No artigo anterior você leu sobre as diferenças entre os dois tipos de manejo, se você não leu, clique aqui: Milho safrinha: como transformar o nitrogênio em lucro.

Aproveite para ouvir este texto no player abaixo:

Como comentei, hoje vou trazer um exemplo prático de como você pode planejar sua próxima safra e reduzir custo por ponto de Nitrogênio no milho.

Caneta e papel na mão? Vem comigo.

Vamos considerar o seguinte cenário para demonstrar a diferença de custo por ponto de Nitrogênio no milho entre cada tipo de manejo, entendido?

diferença de custo por ponto de Nitrogênio no milho entre cada tipo de manejo

*números meramente ilustrativos

Manejo tradicional

Como você já sabe aqui o preço é a prioridade!

Aqui o produtor olha o preço do milho para definir a quantidade de insumos que será comprada.

Veja como isso funciona na prática:

Costumamos usar de 200 a 300 kg/ha de insumos na base, mas se o preço do milho estiver bom, optamos por investir os 300 kg/ha, ou seja, o preço do híbrido é determinante na quantidade de adubo que será investido.

Como estamos animados, com o preço atrativo, também decidimos usar 100 kg/ha na cobertura.

Portanto, geramos um manejo de adubação de 300 kg/ha de base + 100 kg/ha de cobertura, certo? Correspondente a 726 kg/alq. de base + 242 kg/alq. cobertura

Multiplicando o valor do adubo de base e o valor de cobertura pela quantidade aplicada, além disso levando consideração a quantidade de Nitrogênio fornecida, temos:

  • Custo total de adubação: R$650/ha ou R$1.573/alq.
  • Pontos de N fornecidos: 81 kg N/ha ou 196,02 kg N/alq.
  • Custo por ponto de N: R$ 8,00.

Para o exercício acima, não consideramos a eficiência dos fertilizantes nitrogenados e a presença de P e K no adubo de base. Novamente, é apenas um exercício para ficar mais claro o custo por ponto de Nitrogênio no milho.

Esta não é a melhor forma de você planejar a sua cultura e ter mais lucro. Te apresento abaixo a melhor alternativa para você lucrar mais:

A equação do Novo Manejo

Aqui, ao contrário do manejo tradicional, todo o planejamento da cultura considera 3 pilares: meta de produtividade, necessidade de nitrogênio do milho e o sistema produtivo.

Para efeito comparativo, vou considerar a mesma adubação do exemplo anterior, certo?

E usarei, também, o conhecimento sobre o sistema produtivo e sobre nitrogênio no milho:

  • Para cada saca de soja colhida são deixados, aproximadamente, 0,7 kg de nitrogênio no sistema. Importante ressaltar que a custo zero.
  • O inoculante para gramíneas – azospirillum brasiliense fornece até 30 kg/ha de nitrogênio ou 72,6 kg/alq. De nitrogênio ao longo do ciclo.

Sendo assim, basta considerarmos os mesmos valores do exemplo anterior:

  • Custo total de adubação: r$650/ha ou r$1.573/alq.
  • Pontos de nitrogênio fornecidos: 81 kg n/ha ou 196,02 kg n/alq.

E somamos a eles:

  • A quantidade de nitrogênio fornecida pela soja;
  • A quantidade de nitrogênio fornecida pelo uso do inoculante;
  • O custo do uso do inoculante médio – pois pode variar com a dose utilizada.

Vamos considerar uma produtividade de soja de 62 sc/ha ou 150 sc/alq. Nem sempre a soja estará colhida quando formos planejar o plantio do milho, portanto, vale a pena considerar sua média histórica.

Calculando:

  • 0,7 kg n x 62 = 43,4 kg de n/ha ou 105 kg de n/alq. => proveniente da soja.
  • 30 kg de n/ha ou 72,6 kg de n/alq. => inoculante.
  • Custo inoculante: r$12,00/ha ou 29,04/alq.

Ao final, temos estes resultados:

  • Custo total de adubação: r$662/ha ou r$1602,04/alq.
  • Pontos de nitrogênio fornecidos: 154,4 kg n/ha ou 373,65 kg n/alq.
  • Custo por ponto de nitrogênio: r$ 4,28.

Comparativo de resultados

Enquanto no manejo tradicional tivemos um custo de r$ 8,00 por ponto de nitrogênio no milho, no novo manejo o custo ficou em apenas r$ 4,28 por ponto de nitrogênio no milho. Para o exemplo proposto, tivemos uma redução de 46,50% no custo por ponto de nitrogênio. Percebe que usando o conhecimento para pensar e planejar a sua safra você consegue reduzir custos e lucrar muito mais?

Antes de finalizarmos. Lembra que você precisa ter como base uma meta de produtividade. Então vamos fazer o caminho inverso agora.

Exemplo

Aplicando a equação do novo manejo e fornecendo 154,4 kg de n/ha ou 373,65 kg de n/alqueire. Terei potencial para produzir quantas sacas de milho pensando em nitrogênio?

Respondendo essa pergunta você poderá refletir se está ou não fornecendo a quantidade de nitrogênio necessária para o milho produzir o resultado que você espera. Ou seja, para bater a sua meta!

Lembrando que só estou falando de nitrogênio nesse exercício. É de suma importância lembrar que temos que fornecer todos os outros nutrientes essenciais para a cultura em suas quantidades adequadas.

É essa nova forma de pensar que te permite ter um maior controle sobre coisas que você pode gerir, já que o preço e o clima não estão no seu controle.

Bom, hoje vou finalizando por aqui. Neste outro artigo: usando o conhecimento, eu vou te mostrar como melhorar o aproveitamento do nitrogênio para potencializar o retorno do seu investimento, combinado?

Fique ligado.

Vamos juntos: transformar nitrogênio em lucro.

Compartilhar:
Recommended
Lucrar mais com a cultura do milho safrinha não é…
Cresta Posts Box by CP