Fenologia do amendoim

A fenologia do amendoim refere-se à classificação botânica das plantas visando detalhar as fases de crescimento e desenvolvimento vegetativo como germinação, emergência, crescimento do dossel e raízes e reprodutivo composto pelo florescimento, frutificação e maturação. O estudo da fenologia do amendoim é fundamental para auxiliar no manejo da cultura no campo e selecionarmos as melhores práticas de adubação, tratos culturais e colheita, com o objetivo de maximizar a eficiência agronômica e a produtividade da cultura.

fases de desenvolvimento do amendoim

A descrição do ciclo fenológico do amendoim foi detalhado anteriormente por Boote (1982). As fases de desenvolvimento foram divididas em duas: vegetativa e reprodutiva; que são representadas pelas letras maiúsculas “V” e “R”, respectivamente. A fase vegetativa compreende os estádios fenológicos entre VE e V6. O estádio VE é a emergência da plântula. Logo em seguida se inicia o estádio V1 – primeira folha composta (pecíolo com quatro folíolos) na haste principal totalmente expandida. O estádio V2 é caracterizado pela segunda folha totalmente expandida e início da formação dos nódulos radiculares. Até o estádio V6 a planta é caracterizada pelo número de folhas compostas totalmente expandidas. A fase vegetativa do amendoim oscila entre 25 e 35 dias (cultivares modernas tipo Runner – porte rasteiro – nas condições climáticas do Brasil), sendo dependente do ciclo da cultivar e temperatura, principalmente. Na fase vegetativa o principal investimento da planta está no desenvolvimento do sistema radicular e dos nódulos, sendo esses os principais drenos de carboidratos da planta nessa fase de desenvolvimento. Dessa forma estresses bióticos e abióticos na fase vegetativa podem reduzir a taxa de crescimento radicular e eficiência da fixação biológica de nitrogênio (FBN) devido a menor nodulação da planta, resultando em menor tolerância à seca e nutrição com nitrogênio, respectivamente.

A fase reprodutiva se inicia aproximadamente aos 30 dias após a emergência, sendo dividida pelos estádios R1, R2, R3, R4, R5, R6, R7, R8 e R9. Um ponto importante para a cultura do amendoim é que as vagens se desenvolvem no interior do solo e partir do estádio R3 há necessidade de retirar as estruturas reprodutivas do solo para avalição da fenologia. O primeiro estádio reprodutivo é R1 sendo caracterizado pela primeira flor em qualquer nó da planta. No estádio R2, ocorre a formação do ginóforo (estrutura reprodutiva que fixa as vagens ao solo). Em R3 acontece a penetração do ginóforo no solo e início do desenvolvimento do ovário fecundado. Para avaliação do estado nutricional da cultura é adequado realizar a coleta das folhas compostas entre os estádios R2-R3, pois a partir desse momento haverá maior taxa de redistribuição de carboidratos das folhas para as estruturas reprodutivas. 

A frutificação se inicia no estádio R4 – fruto bem desenvolvido no interior do solo, mas ainda sem sementes bem desenvolvidas. Entre os estádios R1 e R4 é definido principalmente o número de vagens por planta, portanto melhores condições nutricionais e ambientais (temperatura, radiação e precipitação) tendem a melhorar esse componente de produção do amendoim. A partir do estádio R4 para identificar o estádio fenológico é necessário a avaliação da cor do endosperma dos frutos através da raspagem das vagens (Figura 1).

Desenvolvimento de sementes e frutos de amendoim
Figura 1 – Desenvolvimento de sementes e frutos de amendoim – Arachis hipogaea L. (grupo Virgínia). Adaptado de Okada et al., 2021 – Plos One.

No estádio R5 (endosperma na cor branca) ocorre o início da formação das sementes no interior do fruto, nesse momento é definido o número de grãos por vagem. Entre os estádios R6 (endosperma coloração amarela) e R7 (endosperma laranja) ocorre o enchimento dos grãos, ou seja, ganho de tamanho e peso dos grãos. A maturação plena ocorre no estádio R8 (endosperma marrom) – onde, se 70% dos frutos estão maduros recomenda-se início da colheita. Também é no estádio R8 que se obtém a máxima qualidade fisiológica das sementes. O estádio R9 (endosperma preto) é caracterizado pela maturidade ultrapassada. A fase reprodutiva tem duração de aproximadamente 90 dias, sendo o ciclo total do amendoim entre 120 e 140 dias no Brasil. Na fase reprodutiva o principal dreno da planta são os frutos, e a taxa de crescimento radicular diária é menor. É importante realizar a tomada de decisão no campo em função da “idade fisiológica” da planta e não a “idade cronológica”, pois a idade cronológica se difere em função do ambiente de produção e ciclo da cultivar.

Tabela- Estádios de desenvolvimento do amendoim (Boote, 1982).
Tabela 1 – Estádios de desenvolvimento do amendoim (Boote, 1982).

Autor

Carlos Felipe S Cordeiro

Literatura consultada

Boote, K. J. (1982). Growth stages of peanut (Arachis hypogaea L.). Peanut science, 9(1), 35-40. https://doi.org/10.3146/i0095-3679-9-1-11

Okada, M. H., Oliveira, G. R. F. D., Sartori, M. M. P., Crusciol, C. A. C., Nakagawa, J., & Amaral da Silva, E. A. (2021). Acquisition of the physiological quality of peanut (Arachis hypogaea L.) seeds during maturation under the influence of the maternal environment. Plos one, 16(5), e0250293. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0250293

Últimos posts

Estratégias de Colheita e Pós-Colheita para Culturas de Verão

Estratégias de Colheita e Pós-Colheita para Culturas de Verão

Conhecer as estratégias de colheita específicas para cada cultura é fundamental para a garantia de máxima qualidade do produto. Uma das principais dicas é conhecer o momento ideal para a colheita, levando em consideração fatores como o estágio de maturação da planta e...

Entenda o Papel dos Macronutrientes na Nutrição das Plantas

Entenda o Papel dos Macronutrientes na Nutrição das Plantas

Os nutrientes são elementos químicos essencialmente requeridos pelas plantas para que estas possam crescer, desenvolver e deixar descendentes. Hoje, existem 17 elementos cuja essencialidade foi comprovada pela pesquisa: C, H, O, N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cl, Cu, Fe, Mn,...

Maximizando a Produtividade da Soja no Sul com Soluções Stoller

Maximizando a Produtividade da Soja no Sul com Soluções Stoller

Maximizar a produtividade da soja no Sul do Brasil é um desafio diante das situações climáticas da região. E para atingir esse objetivo, é essencial a implementação de estratégias agronômicas e tecnologias inovadoras, visando não apenas ao aumento quantitativo, mas...

Fertilizante Foliar: O que é e Como Aplicar

Fertilizante Foliar: O que é e Como Aplicar

Fertilizante Foliar: O que é e Como Aplicar   O fertilizante foliar é um aditivo agrícola que, na agricultura moderna, emerge como uma ferramenta essencial no arsenal de qualquer produção agrícola. Além de melhorar significativamente a saúde geral das...

Nutrição foliar: o que é e como fazer  

Nutrição foliar: o que é e como fazer  

A nutrição foliar é uma técnica na agricultura, que possibilita o fornecimento direto de nutrientes às plantas através das folhas. Esta prática é uma evolução de métodos aprimorada com a ciência agrícola atual. Representa uma abordagem complementar à nutrição...

Como facilitar a fixação do nitrogênio pelas plantas?

Como facilitar a fixação do nitrogênio pelas plantas?

Realizar a fixação biológica do nitrogênio (FBN) em seu cultivo é uma prática fundamental e que contribui diretamente para o crescimento e desenvolvimento saudável das plantas. Afinal, a presença do nitrogênio é fato vital para a síntese de proteínas e de outros...

Como a biorregulação otimiza o desempenho das plantas?

Como a biorregulação otimiza o desempenho das plantas?

Em um cenário agrícola cada vez mais desafiador, otimizar o desempenho das plantas é uma meta essencial para garantir produtividade, qualidade e sustentabilidade. Uma abordagem inovadora e eficiente que tem ganhado destaque entre os profissionais com conhecimentos...

Inoculação na agricultura: o que é e como fazer  

Inoculação na agricultura: o que é e como fazer  

A agricultura é um dos pilares fundamentais da economia global e demanda constantes inovações e práticas aprimoradas. Dentro deste contexto, a inoculação é uma estratégia de destaque na promoção do crescimento vegetal. Neste artigo, você entenderá: o que é a...

Compartilhar:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recommended
Não, existem três tipos de lavouras de milho, as lavouras…
Cresta Posts Box by CP