Como a coinoculação em soja impacta na produtividade da lavoura?

A boa produtividade da soja é reflexo de um conjunto de fatores os quais podem exercer influência direta ou indireta sobre a quantidade ou qualidade dos grãos ou sementes produzidos, sendo um desses fatores a nutrição de plantas. O adequado aporte nutricional é essencial para suprir as exigências nutricionais da cultura, promovendo bom crescimento e desenvolvimento vegetal, refletindo em boa produtividade.

Não consegue ler agora? Aproveita então para ouvir a versão em áudio deste post no player abaixo:

Um dos nutrientes mais requeridos pela soja é o Nitrogênio (N), conforme destacado por Martins (2019), para produção de uma tonelada de grãos ou sementes de soja são extraídos e exportados em média 80,4 kg de N e 56,9 kg de Nitrogênio respectivamente. O Nitrogênio é constituinte de aminoácidos, amidas, proteínas, ácidos nucleicos, nucleotídeos, coenzimas, hexosamina entre outros, estando diretamente relacionada ao crescimento vegetal (Taiz et al., 2017).

O adequado suprimento de Nitrogênio é essencial para que a cultura possa crescer e se desenvolver corretamente. Em algumas culturas, o aporte de Nitrogênio é realizado via fertilizantes nitrogenados, entretanto, o elevado requerimento no nutriente pela cultura da soja torna a adubação nitrogenada para a cultura uma prática de elevado custo.

Felizmente, a simbiose entre plantas de soja e bactérias fixadoras de nitrogênio do gênero o Bradyrhizobium contribui para o fornecimento de praticamente todo o nitrogênio necessário para boas produtividades de soja, produtividades na ordem de até 3600 kg.ha-1, proporcionando ainda valores entre 20 e 30 kg.ha-1 de nitrogênio para a cultura sucessora (Gitti, 2015).

Embora parte dessas bactérias estejam presentes no solo, a prática da inoculação das sementes de soja visa aumentar a população de bactérias fixadoras de nitrogênio por meio do incremento via inoculante. O aumento dos níveis populacionais dessas bactérias possibilita uma adequada simbiose entre planta e bactéria, possibilitando com que todo o nitrogênio que a planta necessita seja fornecido via fixação biológica de nitrogênio (FBN), sendo desnecessário fornecer nitrogênio para a soja via fertilizantes nitrogenados.

Conforme destacado por Prando et al. (2019), a prática da inoculação pode proporcionar o incremento de até 8% na produtividade da soja, enquanto a coinoculação pode incrementar em mais 8% a produtividade, somando-se assim, um ganho de produtividade de 16%. Entretanto, diferentemente da relação simbiótica que ocorre entre plantas de soja e bactérias do gênero Bradyrhizobium, a coinoculação com bactérias do gênero Azospirillum promove uma relação de associação, em que nem todo o nitrogênio sintetizado é fornecido a planta. Contudo, as bactérias do gênero Azospirillum possuem a habilidade em sintetizar fitormônios que promovem o crescimento vegetal, principalmente do sistema radicular, o que favorece a nodulação e a FBN realizada pelo Bradyrhizobium, além de trazer outros benefícios, como ampliação do volume de solo explorado (Prando et al., 2019).

Para tirar suas dúvidas de como realizar uma avaliação assertiva, faça download do material abaixo!

Coinoculacao-soja

A maior nodulação de plantas de soja em consequência da coinoculação foi observada por Gitti (2016) em estudos realizados pela Fundação MS, onde a coinoculação da soja proporcionou não só o aumento do número e massa de nódulos, como também de massa seca de raízes e parte aérea de plantas.

Tabela 1. Número de nódulos por planta, massa seca de nódulos por planta, massa seca de raízes por planta e massa seca da parte aérea da soja em 2015 e 2016 obtidos em tratamentos sem a inoculação de sementes, inoculação (Bradyrhizobium), coinoculação (Bradyrhizobium + Azospirillum brasilense) e aplicação de ureia em cobertura (200 kg.ha-1 de nitrogênio). Fundação MS, Maracaju, MS, 2016.

Fonte: Gitti (2016)

Como os nódulos são consequência da simbiose entre plantas de soja e bactérias fixadoras de nitrogênio no gênero Bradyrhizobium, o aumento do número de nódulos por planta em consequência do favorecimento promovido pela coinoculação pode representar o aumento da quantidade de nitrogênio fixado e da disponibilizado do nutriente para planta, refletindo em maiores produtividades.

Figura 1. Raiz de soja com nodulação abundante resultante da coinoculação com Bradyrhizobium e Azospirillum.

Foto: Mariangela Hungria

Conforme dados da Embrapa, na safra 2018/2019 lavouras do Paraná que adotaram a inoculação de sementes com bactérias do gênero Bradyrhizobium tiveram aumento médio de produtividade de 1,8 sc.ha-1, enquanto lavouras que adotaram a coinoculação (Bradyrhizobium spp. + Azospirillum spp.) obtiveram aumento média de produtividade de 5,6 sc.ha-1 destacando a importância tanto da coinoculação na produtividade da soja.

Embora a associação entre soja e bactérias do gênero Azospirillum não apresentem capacidade de fornecer tanto nitrogênio quanto a simbiose entre soja e bactérias do gênero Bradyrhizobium, a coinoculação auxilia a inoculação, agindo de forma conjunta tanto no aumento do número de nódulos e massa deles quando na promoção do crescimento radicular, possibilitando com que plantas de soja explorem maior volume de solo e com ele maior quantidade de nutrientes e água.

Tendo em vista as contribuições da inoculação e coinoculação para o aumento da produtividade da soja, essas práticas tornam-se essenciais para a obtenção de boas produtividades. A inoculação e coinoculação podem ser realizadas diretamente nas sementes ou até mesmo no sulco de semeadura promovendo maior praticidade.  A inoculação no sulco proporciona melhor contato inoculante-semente-solo, entretanto para a utilização desse método o ideal é fazer uso de inoculantes e coinoculantes líquidos.

Já para a inoculação ou coinoculação nas sementes, pode-se utilizar tanto inoculantes líquidos quanto turfosos, entretanto, a utilização de inoculantes turfosos requer adição de substância adesiva para promover adequada adesão inoculante-semente. De maneira geral, ambas as formas são boas, com suas vantagens e desvantagens, cabe ao agricultor e técnico responsável optar pela escolha do melhor inoculando e coinoculante para sua lavoura, atentando para as condições de armazenamento e uso desses produtos.

Para saber mais sobre este assunto assista o vídeo abaixo:

Para saber mais sobre este assunto ouça o podcast abaixo:

Referências:

EMBRAPA. TÉCNICAS DE INOCULAÇÃO DE BACTÉRIAS AUMENTAM PRODUTIVIDADE DA SOJA. Embrapa, News, 2019.

GITTI, D. C. INOCULAÇÃO E COINOCULAÇÃO NA CULTURA DA SOJA. Fundação MS, Tecnologia e Produção: Soja 2015/2016, 2016.

GITTI, D. C. INOCULAÇÃO E COINOCULAÇÃO NA CULTURA DA SOJA. Fundação MS, Tecnologia e Produção: Soja 2014/2015, 2015.

HUNGRIA, M.; NOGUEIRA, M. A. RIZÓBIOS E AZOSPIRILLUM EM SOJA E FEIJOEIRO. Embrapa, Tecnologia de Produção, 2015.

MARTINS, G. TABELA DE EXTRAÇÃO E EXPORTAÇÃO DOS NUTRIENTES NA CULTURA DA SOJA. Nutrição de Safras, 2019.

PRANDO, A. M. et al. COINOCULAÇÃO DA SOJA COM Bradyrhizobium E Azospirillum NA SAFRA 2018/2019 NO PARANÁ. Embrapa, Circular Técnica, n. 156, 2019.

TAIZ, L. et al. FISIOLOGIA E DESENVOLVIMENTO VEGETAL. Porto Alegre, ed. 6, 2017.

Últimos posts

Fertilizante Foliar: O que é e Como Aplicar

Fertilizante Foliar: O que é e Como Aplicar

Fertilizante Foliar: O que é e Como Aplicar   O fertilizante foliar é um aditivo agrícola que, na agricultura moderna, emerge como uma ferramenta essencial no arsenal de qualquer produção agrícola. Além de melhorar significativamente a saúde geral das...

Nutrição foliar: o que é e como fazer  

Nutrição foliar: o que é e como fazer  

A nutrição foliar é uma técnica na agricultura, que possibilita o fornecimento direto de nutrientes às plantas através das folhas. Esta prática é uma evolução de métodos aprimorada com a ciência agrícola atual. Representa uma abordagem complementar à nutrição...

Como facilitar a fixação do nitrogênio pelas plantas?

Como facilitar a fixação do nitrogênio pelas plantas?

Realizar a fixação biológica do nitrogênio (FBN) em seu cultivo é uma prática fundamental e que contribui diretamente para o crescimento e desenvolvimento saudável das plantas. Afinal, a presença do nitrogênio é fato vital para a síntese de proteínas e de outros...

Como a biorregulação otimiza o desempenho das plantas?

Como a biorregulação otimiza o desempenho das plantas?

Em um cenário agrícola cada vez mais desafiador, otimizar o desempenho das plantas é uma meta essencial para garantir produtividade, qualidade e sustentabilidade. Uma abordagem inovadora e eficiente que tem ganhado destaque entre os profissionais com conhecimentos...

Inoculação na agricultura: o que é e como fazer  

Inoculação na agricultura: o que é e como fazer  

A agricultura é um dos pilares fundamentais da economia global e demanda constantes inovações e práticas aprimoradas. Dentro deste contexto, a inoculação é uma estratégia de destaque na promoção do crescimento vegetal. Neste artigo, você entenderá: o que é a...

Compartilhar:

0 comentários

Recommended
Um dos principais grãos produzidos mundialmente, o milho faz parte…
Cresta Posts Box by CP